A PORDATA

PORDATA, Base de Dados de Portugal Contemporâneo, é organizada e desenvolvida pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, criada em 2009 pelos seus fundadores, por Alexandre Soares dos Santos e sua família, descendentes de Francisco Manuel dos Santos, a cuja memória decidiram consagrar a fundação.

PORDATA dá corpo a uma das prioridades da Fundação: recolha, organização, sistematização e divulgação da informação sobre múltiplas áreas da sociedade, para Portugal, municípios e países europeus. As estatísticas divulgadas são provenientes de fontes oficiais e certificadas, com competências de produção de informação nas áreas respectivas. O esforço da Fundação consiste em recolher e organizar a informação disponível, tornando-a o mais possível clara e acessível. Acresce um trabalho importante na informação contextualizadora, a chamada “metainformação”,  como parte indissociável dos dados, permitindo a sua adequada interpretação. A Fundação entende que assim presta um serviço público à sociedade portuguesa, a título gratuito e sem qualquer custo para o utilizador.

PORDATA foi apresentada ao público a 23 de Fevereiro de 2010 tendo disponibilizado os dados estatísticos em três fases: Portugal (Fevereiro de 2010), Europa (Novembro de 2010), regiões e municípios portugueses (Maio de 2012).

Colaboram com a PORDATA mais de sessenta entidades oficiais, com especial destaque para o Instituto Nacional de Estatística.A grande abertura dos organismos oficiais às solicitações da PORDATA merece uma palavra de justo e reconhecido agradecimento por parte da Fundação Francisco Manuel dos Santos.  

Na sequência do lançamento da PORDATA, e de acordo com os seus princípios e missão, a Fundação Francisco Manuel dos Santos decidiu acompanhar este projecto com acções de formação sobre utilização deste portal, contando já com vários milhares de pessoas formadas. Muitas instituições usufruiram desta iniciativa, nomeadamente escolas, universidades, empresas, autarquias, associações, etc.

A direcção deste ambicioso projecto foi confiada pelos órgãos sociais da Fundação a Maria João Valente Rosa com uma equipa de colaboradores directos (Ana Luísa Barbosa, Joana Lopes Martins, Rita Faria, Rita Rosado).